Notícias - Alpha Trânsito

Cassação de cnh Sorocaba suspensão de cnh sorocaba



habilitação suspensa sorocaba multa por embriaguez sorocaba



Cassação de cnh Sorocaba suspensão de cnh sorocaba



habilitação suspensa sorocaba multa por embriaguez sorocaba



Notícias

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


20/10 - Linha 2019 de motos Honda e Harley-Davidson, Renegade renovado e mais destaques da semana
Compra de terreno em Xangai pela Tesla e confirmação do novo Camaro no Salão de SP também foram destaques do noticiário. Confira os destaques da semana em carros e motos durante os dias 15 e 19 de outubro. Honda apresenta 9 modelos Honda Elite 125 Divulgação Entre modelos inéditos, renovações e séries especiais, a Honda revelou 9 modelos que vão chegar às concessionárias em breve para a linha 2019. O scooter Elite 125 e a nova geração da naked CB 1000 R são os principais destaques. Linha 2019 da Harley Harley-Davidson FXDR 114 Harley-Davidson/Divulgação De uma só vez, a Harley-Davidson revelou toda a linha 2019 de motocicletas para o mercado brasileiro. A inédita FXDR e a renovação das touring são as principais novidades. Renegade renovado Jeep Renegade 2019 ganha visual no Brasil Sem trazer parte das mudanças dos modelos americano e europeu, o Jeep Renegade foi atualizado no Brasil. Confira os detalhes e a lista completa de preços. Tesla compra terreno em Xangai Tesla Roadster REUTERS/Alexandria Sage Para expandir sua produção e melhorar o abastecimento a mais mercados, a montadora americana Tesla comprou um terreno em Xangai para construir sua fábrica de US$ 2 bilhões. Camaro estará no Salão de SP Chevrolet Camaro 2019 Divulgação A Chevrolet confirmou que vai mostrar o novo Camaro no próximo Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro. Entrevista com 'pai' do BMW Série 3 Nova geração do BMW Série 3 é apresentada no Salão de Paris 2018 Eric Piermont/AFP Thomas Baeumer, chefe de projeto do novo Série 3, contou ao G1 como a equipe da BMW trabalhou para criar esta nova geração. Curtas Fiat Uno Way retorna à linha 2019 por a partir de R$ 46.990 Canadá começa a multar por uso de maconha dentro do carro Troller mostra T4 2019 e anuncia atrações para o Salão de SP
Veja Mais

19/10 - Preço da gasolina tem leva alta na semana; diesel fica estável, mostra ANP
Gasolina renovou a máxima do ano; pesquisa semanal também apontou aumento no valor do etanol. Preços da gasolina e etanol encerraram a semana em alta Marcelo Brandt/G1 Os preços da gasolina e do etanol encerraram a semana em alta, enquanto o do diesel permaneceu inalterado, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgado nesta sexta-feira (19). O preço da gasolina ao consumidor subiu 0,06%, para R$ 4,725, e renovou a máxima do ano. Foi o oitavo aumento seguido. A ANP chegou a encontrar o litro da gasolina vendido a R$ 6,290. Nesta sexta-feira, a Petrobras anunciou redução de 2% no preço da gasolina nas refinarias, para o do valor mais baixo desde 29 de agosto. O repasse do reajuste para o preço final, entretanto, vai depender dos postos. A pesquisa da ANP também mostrou que o preço do diesel ficou inalterado em R$ 3,712 depois de subir por sete semanas consecutiva. Já o preço do etanol avançou 1%, para R$ 2,943. O valor representa uma média calculada pela ANP e, portanto, pode variar de acordo com a região. No acumulado do ano, o preço da gasolina subiu 15,27%, o diesel avançou 11,61%, e o do etanol registrou aumento de 1,06%.
Veja Mais

19/10 - Honda lança CB 1000 R, scooter pequeno e mais 7 motos no Brasil
Entre modelos inéditos, renovações e séries especiais, a marca apresentou o total de 9 modelos. Scooter mais vendido do Brasil, PCX também foi atualizado. A Honda apresentou nesta sexta-feira (19) o total de 9 motos de sua linha 2019 no Brasil, entre modelos inéditos, renovações e séries especiais. Os destaques são a nova CB 1000 R e o inédito scooter pequeno. Harley-Davidson lança linha 2019 no Brasil; preços vão de R$ 42,4 mil a R$ 172,9 mil Honda Elite 125 Divulgação O Elite 125 chega para ser o scooter de entrada da Honda no Brasil, em um segmento que vem em alta nos últimos anos. Ele ficará posicionado abaixo do PCX, que é o scooter mais vendido do Brasil e também foi renovado. Veja todas as novidades: CB 1000 R (nova geração) Elite 125 (inédito) PCX (renovado) GL 1800 Gold Wing (nova geração): R$ 136.550 GL 1800 Gold Wing Tour (nova geração): R$ 156.550 CG 160 Titan (série especial) SH 300i (nova versão) XRE 300 (renovada) Pop 110i (renovada) CRF 250F (inédito) CB 1000 R Honda CB 1000 R Honda/Divulgação Depois de ficar alguns anos fora do Brasil, a naked de alta cilindrada da Honda retorna em sua geração mais recente, que teve sua patente registrada no país recentemente. Agora, o modelo possui um visual que mistura moderno e retrô. Essa estética também está presenta nas CB 300 R e CB 125 R europeias. Seu motor de 4 cilindros e 998 cc, que é originário da esportiva CBR 1000 RR, ficou mais potente, passando dos 125 cavalos para 145,5 cavalos. A previsão de início das vendas é o primeiro trimestre do ano que vem. Novo scooter de entrada Honda Elite 125 Divulgação A marca também anunciou a chegada do inédito Elite 125. Ele será o modelo de entrada entre os scooters da marca japonesa, abaixo de PCX e SH. Entre seus equipamentos, há iluminação frontal por LED e freios CBS. Ainda não há informações técnicas do motor. As vendas começam ainda este ano. PCX renovado Honda PCX Sport Divulgação Depois de ser apresentada na Ásia no final de 2017, a renovação do PCX, enfim, desembarca no Brasil. O visual do scooter mais vendido do Brasil ficou mais moderno. Entre as novidades, estão conjunto ótico em LED e painel de instrumentos digital, além dos freios ABS, ainda que como opcional. A suspensão traseira também teve seu arranjo modificado. Outro modelo que tem as vendas confirmadas para este ano. Goldwing Honda Gold Wing Tour Honda/Divulgação Moto mais cara da Honda, a estradeira Gold Wing chega ao Brasil em nova geração, confirmada para fevereiro de 2019. No entanto, sua pré-venda foi iniciada e estão disponível em duas versões: GL 1800 Gold Wing: R$ 136.550 GL 1800 Gold Wing Tour: R$ 156.550 Honda Gold Wing 2019 Honda/Divulgação O modelo tem como base o motor V6 de 1.833 cc, que atinge 126 cavalos de potência. Além de sistema de som, assistente de rampa e marcha ré, a moto tem novo sistema multimídia que é compatível com CarPlay da Apple. Na versão top de linha Tour, a motocicleta tem maleta adicional, suspensão traseira com ajustes eletrônicos e até airbag. CG 160 Titan SE Honda CG 160 Titan SE Divulgação Para comemorar os 25 anos da linha Titan, o modelo top de linha entre as CGs, a Honda criou uma edição especial da moto. A CG 160 Titan SE, sigla para Special Edition, tem produção limitada em 8 mil unidades, e traz badge "25" na carenagem. A previsão de chegada é o ano que vem. SH 300i Honda SH 300i Sport Divulgação O scooter passa a ter uma versão chamada Sport. Els traz pintura branco perolizada e apliques em preto no escudo frontal e carenagem de farol. Bengala da suspensão, rodas e bagageiros também possuem acabamento escurecido. Também teve o início das vendas confirmado para 2019. XRE 300 Honda XRE 2019 Divulgação O modelo também ganhou iluminação em LED. Outra novidade é a presença do freio ABS de série. O peso foi reduzido em 5,4 kg, e as vendas terão início ainda este ano. CRF 250F Honda CRF 250 Divulgação O modelo do segmento off-road é uma novidade no Brasil, com chegada confirmada até o fim do ano. Com a 250, a Honda está expandindo a linha CRF no país. Segundo a fabricante, trata-se de um projeto inédito, com chassi, suspensões e freios totalmente novos. Pop 110i Honda Pop 110i 2019 Divulgação O produto mais barato da Honda no Brasil ganha freios CBS. Fora isso, outra novidade é a opção de cor branca com assento vermelho. As vendas começam ainda esse ano.
Veja Mais

19/10 - Novas tecnologias são tema do AutoEsporte
De aplicativo a tecnologia nas palhetas dos para-brisas: programa mostra facilidades para o dia a dia dos motoristas As cidades estão conectadas. Para o trânsito, um novo aplicativo apresenta facilidades que podem melhorar o fluxo de fiscalizações no tráfego. O AutoEsporte deste domingo, dia 21, mostra essa nova ferramenta e, ainda, outra tecnologia que, aplicada às palhetas do para-brisa, faz com que os esguichos de água saiam do próprio acessório. O repórter César Urnhani relembra a importância da tampa dos bicos dos pneus. A reportagem atenta para o fato de que os vazamentos causados por problemas na válvula e nos bicos dos automóveis podem ser resultado da ausência das peças. Já Luiz Razia compara as diferentes formas de tração 4x4 dos veículos. A atração deste domingo também mostra um leilão de motos que pertenceram ao ator Steve McQueen, um apaixonado declarado por velocidade. O AutoEsporte vai ao ar aos domingos, logo após o Globo Rural.
Veja Mais

19/10 - Honda WR-V ganha equipamentos na linha 2019 e fica R$ 700 mais caro
Ar-condicionado digital e nova central multimídia passam a ser de série nas duas versões. Opção topo de linha também ganha bancos de couro. Honda WR-V 2019 Divulgação A Honda divulgou nesta sexta-feira (19) os detalhes da linha 2019 do WR-V. O modelo ficou R$ 700 mais caro. Veja os preços: WR-V EX - R$ 82.100 (era R$ 81.400) WR-V EXL - R$ 86.200 (era R$ 85.500) Não houve alterações estéticas ou mecânicas, mas a Honda melhorou a oferta de equipamentos. Agora, as duas versões contam com central multimídia de 7 polegadas e ar-condicionado digital. Honda WR-V 2019 Divulgação A opção topo de linha, EXL, ainda conta com bancos de couro, retrovisores com rebatimento elétrico e airbag de cortina. Para a versão EX, há bolsas frontais (obrigatórias por lei) e laterais. Ainda assim, os controles de tração e estabilidade não são oferecidos nem como opcionais. O WR-V só pode ser equipado com o motor 1.5 de 116 cavalos, associado ao câmbio CVT. Ar-condicionado digital agora é item de série no Honda WR-V Divulgação
Veja Mais

19/10 - Fiat terá conceito que antecipa novo SUV no Salão do Automóvel de São Paulo
Marca diz que modelo será inédito, e segue os novos pilares de estilo da fabricante. Desenho de conceito que a Fiat vai exibir no Salão do Automóvel Reprodução A Fiat anunciou nesta sexta-feira (19) que vai exibir no Salão do Automóvel de São Paulo um conceito que irá antecipar as linhas do novo SUV e de novos modelos. A marca divulgou um vídeo com detalhes da concepção do modelo, mas não mostrou sua forma definitiva. O modelo, ainda sem nome, foi criado pelo estúdio de design da FCA em Betim (MG). Segundo a Fiat, trata-se de algo inédito. A Fiat tem histórico de exibir carros conceito no Salão do Automóvel. Em 2014, a Fiat apresentou um conceito que deu origem à picape Toro. Conceito que a Fiat irá exibir no Salão do Automóvel de São Paulo Divulgação Initial plugin text
Veja Mais

19/10 - Tesla lança versão intermediária do Model 3 por US$ 45 mil
Elétrico tem bateria de "alcance médio", de cerca de 418 quilômetros. Prometida versão de entrada, de US$ 35 mil, ainda não foi colocada à venda. Tesla lança versão de preço intermediário do Model 3 nos Estados Unidos Mike Blake/Reuters A Tesla apresentou em seu site nesta quinta-feira (18) uma nova versão de US$ 45 mil de seu sedã Model 3, lançando o carro uma vez que os incentivos fiscais dos Estados Unidos para os veículos da montadora estão prestes a diminuir. De acordo com o site, o modelo de tração traseira tem uma bateria de "alcance médio", de 260 milhas (cerca de 418 quilômetros), 50 milhas a menos que a bateria de longo alcance que equipa a versão mais cara do Model 3. O novo Model 3 tem um prazo de entrega de seis a dez semanas, de acordo com o site da montadora. Se os clientes receberem os veículos até o final do ano, eles tem direitos ao atual crédito fiscal de US$ 7.500. O crédito fiscal para carros da Tesla cairá pela metade em 1º de janeiro. Versão de entrada ainda não foi lançada Embora a Tesla tenha prometido uma versão de nível básico do Modelo 3 ao preço de US$ 35 mil, até agora produziu versões de custo mais alto a partir de US$ 49 mil. A Tesla disse que não fabricaria a versão de nível básico em 2018. Adicionar a versão intermediária do Modelo 3 parece ser uma maneira estratégica de atrair possíveis compradores que esperavam pela versão mais barata. Não está claro quantas das mais de 400 mil reservas para o Modelo 3 são para os modelos básicos. Tesla Model 3 Reprodução/Elon Musk/Twitter
Veja Mais

19/10 - Jeep faz recall do Compass; motor pode desligar sozinho
Defeito também atinge Dodge Journey. Unidades são de ano/modelo 2018. Jeep Compass Divulgação/Jeep A Jeep anunciou nesta sexta-feira (19) o recall do Compass, de ano/modelo 2018, por defeito que pode levar os veículos a desligarem sozinhos, mesmo em movimento. O mesmo problema atinge também unidades do Dodge Journey. Em junho, 92.081 unidades de Compass e Renegade também foram chamadas por defeito que faria os motores desligarem, mas a falha estava relacionada aos relés do sistema de ignição. Veja chassis envolvidos: Jeep Compass 2018: de H57136 a H77658 Dodge Journey 2018: de 15236 a 158737 De acordo com a montadora, neste novo recall, foi identificada a falha de funcionamento do chip regulador de tensão da placa da central de injeção de injeção eletrônica nos modelos, o que pode levar ao desligamento inesperado do veículo mesmo em movimento. Caso o defeito ocorra, eventuais danos físicos e materiais podem atinger o motoritas, passageiros e terceiros. O reparo gratuito começa a partir do próximo dia 22 de outubro nas concessionárias de Jeep e Dodge, com o tempo estimado de 30 minutos, para a substituição da central de injeção eletrônica e atualização do software. Para mais informação, as montadoras disponibilizam os sites ww.jeep.com.br e www.dodge.com.br, além dos telefones 0800 703 7150 (Jeep) e 0800 703 7140 (Dodge). Dodge Journey Divulgação/Dodge
Veja Mais

18/10 - Renault Sandero ganha série 'esportiva' GT Line com motor 1.0 de 82 cv
O modelo terá produção limitada em 3.500 unidades vendidas a R$ 47.990 cada, ou R$ 9.510 a menos em relação à versão GT Line com motor 1.6. Renault Sandero GT Line 1.0 Divulgação/Renault A Renault apresentou uma opção mais em conta para o Sandero GT Line, antes oferecida apenas com motor 1.6 por R$ 57.500. Agora, a versão ganha uma série limitada em 3.500 unidades equipada com motor 1.0 por R$ 47.990. Sem muita relação com a aparência esportiva, o motor de três cilindros entrega no máximo 82 cavalos de potência com etanol e 10,5 kgfm de torque com o mesmo combustível. O câmbio é manual de cinco marchas. O conjunto é o mesmo das demais configurações do hatch. Como efeito de comparação, o GT Line 1.6 tem 118 cavalos de potência e 16 kgfm de torque, também com etanol. Modelo ganha detalhes em azul, como costuras na alavanca de câmbio e saídas de ar Divulgação/Renault Visualmente, nada muda no Sandero GT Line de entrada em relação ao mais potente. Ele segue com para-choques de aparência esportiva, rodas de liga leve de 15 polegadas, aerofólio, saias laterais, spoiler, difusor traseiro e grade exclusiva. Entre os equipamentos de série, o modelo tem ar-condicionado e central multimídia com GPS, Bluetooth e USB, e pode ser equipado, opcionalmente, com câmera de ré e rodas de 16 polegadas.
Veja Mais

18/10 - Gestamp reduz jornada e salário na fábrica em Taubaté, SP
Cerca de metade da produção da empresa atende a Volkswagen. Montadora alemã vem adotando férias coletivas e impactou fornecedor. Redução de jornada é de três dias. Gestamp demite trabalhadores em Taubaté A Gestamp, fornecedora do setor automotivo, fez um acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos na tarde desta quinta-feira (18) para reduzir em três dias ao mês a jornada de trabalho na fábrica em Taubaté (SP), com redução proporcional nos salários. A medida foi uma alternativa à ameaça de demissões - a unidade opera com excedente de cerca de 100 funcionários. A negociação, que para ser validada precisa ser aprovada em assembleia pelos empregados, prevê que a medida seja adotada por seis meses a partir do próximo dia 1º. A contrapartida é a estabilidade aos 980 empregados no período - sendo autorizadas demissões apenas em casos excepcionais, como justa causa. (Atualização: Os trabalhadores aprovaram o acordo em assembleia na sexta-feira (19) ) O acordo ocorreu depois que a Gestamp deu início à um processo de demissão em massa. Antes de 12h desta quinta, 20 trabalhadores haviam sido desligados. Para frear novas demissões, o sindicato sinalizou que faria o acordo. Os cortes, no entanto, não serão revistos. De acordo com a direção da Gestamp, os trabalhadores do setor administrativo poderão escolher três dias por mês para fazer a redução de jornada, condicionado à necessidade da chefia; e os trabalhadores do setor operacional terão uma escala pré-definida. Atualmente, a maioria dos empregados têm jornada de oito horas por dia, cinco vezes por semana. Cadeia produtiva Cerca de metade da produção da Gestamp, que produz peças e acessórios automotivos, atende a Volkswagen, também em Taubaté. A multinacional alemã vem concedendo, consecutivamente, férias coletivas aos operários - o que reduziu o ritmo de produção. Com a produção menor, a demanda que a Gestamp precisa atender também reduziu, o que motivou o acordo de ajuste de jornada. Em agosto a Gestamp demitiu 52 funcionários e alegou que precisava adequar produção à demanda. Sindicato O Sindicato dos Metalúrgicos foi procurado para comentar o acordo e o G1 aguardava retorno até a publicação desta reportagem.
Veja Mais

18/10 - Canadá começa a multar por uso de maconha dentro do carro
Primeira infração aconteceu apenas 1 hora após liberação do uso recreativo da droga no país. Consumo em veículos é proibido e descumprimento custa R$ 1,9 mil. Polícia do Canadá começa a aplica multas por uso de maconha em carros Winnipeg Police/Divulgação Apesar de o Canadá ter legalizado o uso recreativo de maconha, na última quarta-feira (17), o consumo da droga dentro de veículos é proibido e dá multa. A primeira infração foi registrada apenas 1 hora depois das novas regras entrarem em vigor. Conheça as regras para o uso da maconha no Canadá Não está claro se a pessoa multada estava dirigindo ou apenas fumando maconha dentro do carro, mas ambos os casos são enquadrados como infração. Na Província de Manitoba, onde está Winnipeg, a lei prevê multa de 672 dólares canadenses, cerca de R$ 1,9 mil, para quem consumir de maconha dentro de veículos em trânsito. Homem fuma maconha em Quebec, no Canadá, na quarta-feira (17), após início da liberação da droga no país Christinne Muschi/Reuters Em entrevista à rede "CBC", o inspetor de polícia, Gord Spado, explicou que, antes da legalização do uso recreativo, não havia multas para este tipo de conduta porque o consumo da maconha, em, qualquer circunstância, era um crime e não apenas uma infração. Comparação com álcool A organização Mothers Against Drunk Driving (MADD) se associou ao Uber e à produtora de maconha Tweed em uma campanha contra a direção sob os efeitos da cannabis. O objetivo é mostrar os perigos de dirigir após o consumo da droga. Na publicação feita pela polícia de Winnipeg no Twitter, a autoridade compara o uso da maconha ao do álcool. "Assim como o álcool, consumir cannabis é legal - e como o álccol, consumir em seu veículo não é (legal)", disse a polícia.
Veja Mais

18/10 - Fiat Uno Way retorna à linha 2019 por a partir de R$ 46.990
Hatch havia perdido versões em meados de 2018. Motores 1.0 e 1.3 Firefly retornam. Fiat Uno Way Divulgação A Fiat voltou a disponibilizar em seu site as versões Way do Uno em seu modelo 2019, depois do hatch perder opções em meados de 2018. Veja todas versões do Uno 2019: Uno Attractive 1.0 - R$ 43.690 (custava R$ 42.990) Uno Drive 1.0 - R$ 45.590 (custava R$ 44.820) Uno Way 1.0 - R$ 46.990 Uno Way 1.3 - R$ 52.690 Além de retornar com as versões mais caras do Uno, a Fiat também trouxe de volta o 1.3 de 4 cilindros Firefly e ampliou o uso do 1.0 Firefly de 3 cilindros. Antes, a opção de 3 cilindros estava presente apenas no Drive 1.0. O Attractive segue com motor 1.0 Fire de 4 cilindros. Enquanto as novas versões foram incluídas, houve aumento de preço para as opções de entrada. O Uno Attractive passou a custar R$ 43.690 (antes, era vendido por R$ 39.990) e o Drive chegou a R$ 45.590 (antes, custava R$ 42.990). Fiat Uno Way 1.0 2017 Divulgação 'Aventureiro' O Uno Way é considerado como uma variante "aventureira" do hatch, com suspensão mais alta e apliques plásticos nas caixas de rodas e laterais. Motores Enquanto o antigo 1.0 de 4 cilindros Fire entrega 75 cavalos e 9,9 kgfm de torque, o Firefly 1.0 chega a 77 cv e 10,9 kgfm. Já o 1.3 tem 109 cv de potência máxima e 14,2 kgfm de torque. Em ambas opções, o câmbio é manual de 5 marchas. Fiat Uno Way 1.0 Divulgação
Veja Mais

18/10 - BMW revela o inédito X7, maior SUV já produzido pela marca
Com capacidade para levar até sete ocupantes, o novo carro-chefe da linha X tem quatro versões e pode chegar ao Brasil. BMW X7 xDrive40i Divulgação/BMW A BMW revelou oficialmente o inédito X7. Anunciado em 2016, o modelo ganhou um conceito homônimo em 2017 e passou a ser flagrado em testes nos últimos meses. Para 2019, a previsão é de que o maior SUV já feito pela marca chegue ao Brasil. Além do visual, o X7 também passará a ditar as regras para os aparatos tecnológicos da linha X. Entre seus equipamentos, há quadro de instrumentos digital com tela de 12,3 polegadas, assistente pessoal/concierge, faróis de laser com alcance de até 600 metros e sistema de som Bowers & Wilkins Diamond. Ar-condicionado digital de quatro zonas, teto panorâmico, iluminação ambiente, seletor de modos de condução, assistente de permanência em faixa, piloto automático adaptativo, alerta de tráfego cruzado, assistente de estacionamento, alerta de prioridade e de contramão de direção e de frenagem de emergência também estão na lista. BMW X7 xDrive40i Divulgação/BMW Espaço de sobra Com 5,15 metros de comprimento, 2 m de largura, 1,80 m de altura e 3,10 de entre-eixos, o X7 tem porte semelhante ao Mercedes-Benz GLS, um de seus principais rivais. A lista conta ainda com Audi Q7, Range Rover Vogue e, nas versões mais caras, o Bentley Bentayga. BMW X7 pode levar até sete ocupantes ou seis, como na imagem Divulgação/BMW Ainda sobre medidas, o BMW tem capacidade para levar até 7 pessoas - quem vai na terceira fileira tem direito a bancos com braços, porta-copos e entradas USB. Opcionalmente, o SUV pode levar 6 pessoas, com a fileira do meio transformando-se em duas poltronas individuais. Com as três fileiras ocupadas, o porta-malas ofecere 326 litros para bagagens. O espaço sobe para 2.120 litros com as duas fileiras traseiras rebatidas. As rodas são de 20 polegadas, com opções de aro 21 e 22. BMW X7 xDrive40i interior Divulgação/BMW Versões e mecânica São quatro configurações diferentes para o X7, todas com câmbio automático de 8 marchas e tração integral. De série, a versão M50d é equipada com diferencial no eixo traseiro. Para as versões equipadas a diesel, um turbinado de seis cilindros em linha entrega 265 cv de potência para o xDrive30d e 400 cv para o M50d. Já a gasolina, o xDrive40i traz um seis cilindros em linha com 340 cv, enquanto o topo de linha, xDrive50i, tem um V8 de 462 cv de potência.
Veja Mais

18/10 - Honda inicia pré-venda da GL 1800 Gold Wing 2019 partindo de R$ 136.550
Moto mais cara da marca no Brasil tem motor de 6 cilindros e 1.833 cc, que é capaz de gerar 126 cavalos. Versão top de linha Tour custa R$ 156.550. Honda Gold Wing no Salão Duas Rodas 2017 Marcelo Brandt/G1 A Honda anunciou o início das vendas do modelo 2019 de sua moto mais cara no Brasil. Apresentada no Salão Duas Rodas 2017, a nova GL 1800 Gold Wing pode ser encomendada a partir do próximo dia 22 de outubro por valores que começam em R$ 136.550. Veja os preços: GL 1800 Gold Wing: R$ 136.550 GL 1800 Gold Wing Tour: R$ 156.550 De acordo com a montadora, as primeiras unidades serão entregues apenas em fevereiro de 2019. Esta nova geração da Gold Wing traz as mais profundas mudanças na moto desde o lançamento do modelo antigo, que era de 2001 e teve atualização em 2010. Honda Gold Wing no Salão Duas Rodas 2017 Marcelo Brandt/G1 Motorzão de 6 cilindros Ambas as versões da Gold Wing utilizam como base o motor de 6 cilindros da configuração boxer. Em relação à moto antiga, ele passou de 1.832 cc de cilindrada para 1.833 cc, chegando a 126 cavalos de potência - antes, eram 118 cv. O torque também cresceu, passando de 17 kgfm a 17,34 kgfm. Apesar de sua força ter aumentado pouco, o motor ficou 6,2 kg mais levee e 33,5 mm mais curto que o da moto anterior. No total, a moto está 48 kg mais leve. Seu peso total é de 369 kg (seco). Honda GL 1800 Gold Wing 2019 Honda/Divulgação Agora, a moto também possui câmbio de dupla embreagem automático, que pode funcionar no modo semi-automático e tem 6 marchas na Gold Wing, e 7 marchas, na Tour. Ainda há um modo para manobras em baixa velocidade, que movimenta a moto a 1,8 km/h, para a frente, e 1,2 km/h, em marcha ré. Para receber o novo motor e visual, o chassi também foi redesenhado. Veja alguns itens de série na Gold Wing: Cruise control Acelerador eletrônico Assistente de rampa Modos de pilotagem Aquecimento de manoplas Tela multimídia de 7 polegadas Sistema de som Honda Gold Wing 2019 Honda/Divulgação Em comparação a versão de entrada da Gold Wing, a Tour é mais equipada e tem: Airbag Suspensão traseira com ajustes eletrônicos Altura do para-brisa Maleta adicioanal Honda Gold Wing Tour Honda/Divulgação Conexão com CarPlay Uma das novidades da moto é a nova central multimídia de 7 polegadas. Assim como os novos modelos touring da Harley-Davidson, a tela permite conexão com o Apple CarPlay, permitindo utilizar as funções de seu smartphone diretamente na moto. Honda Gold Wing 2019 Honda/Divulgação Nova geração da Honda Gold Wing REUTERS/Toru Hanai
Veja Mais

17/10 - Concessionária dos EUA mandava cartas de falsos recalls para atrair consumidores à oficina
Loja fez acordo com agência que regula comércio no país e não terá que indenizar clientes. Uma rede de concessionárias dos Estados Unidos enviou 21 mil cartas a proprietários de veículos da Toyota e da Nissan, anunciando falsos recalls. Ela foi acusada de enganar os consumidores para atrai-los para suas oficinas. A prática aconteceu entre 2015 e 2017 e foi denunciada pela FTC, a agência reguladora do comércio no país, equivalente ao Cade no Brasil. Os avisos foram impressos eram em papel vermelho com letras garrafais e falavam em urgência. Mas a maioria dos veículos não era alvo de recall. Rede de concessionárias dos EUA mandava avisos de falsos recalls para consumidores Divulgação/Federal Trade Commission Mesmo quando consumidores ligavam para os telefones informados para saber se seus carros estavam envolvidos no chamado, os atendentes pediam que eles levassem seus carros às lojas, para verificação. Apesar de todo recall ser grátis, uma vez que o veículo estivesse na oficina da concessionária, era fácil para que a loja encontrasse defeitos e cobrasse por eles. Para a FTC, além de enganar o consumidor, a rede provocou descrédito com relação a futuros avisos verdadeiros de recalls, colocando em risco a segurança dos ocupantes desses carros. O acordo obriga a concessionária a nunca mais criar comunicação enganosa, mas não prevê nenhum tipo de multa ou indenização. Initial plugin text
Veja Mais

17/10 - Condição das rodovias brasileiras melhora, mas número de trechos com risco aumenta, diz CNT
Trechos que podem trazer graves riscos à segurança saltou de 363 em 2017 para 454 em 2018. Pesquisa apontou que 57% das rodovias brasileiras são regulares, ruins ou péssimas. Imagem da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, em direção ao litoral sul de São Paulo Guilherme Dionisio/Estadão Conteúdo Estudo divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) aponta que mais da metade dos 107.161 quilômetros de rodovias brasileiras apresenta algum tipo de problema. Segundo a pesquisa CNT Rodovias, 57% da malha rodoviária brasileira foi classificada como regular, ruim ou péssima. Dos mais de 107 mil quilômetros pesquisados, 21,8% foram considerados ruins ou péssimos. Apesar de considerar que o resultado da análise é insatisfatório, a CNT aponta que a condição geral das rodovias em 2018 apresentaram melhora em relação à pesquisa de 2017, quando 61,8% das rodovias foram classificadas como regulares, ruins e péssimas. Apesar da melhora nas condições gerais, houve um aumento do número de pontos críticos em toda a extensão pesquisada. Em 2017, a CNT identificou 363 trechos com pontos críticos. Esse número saltou para 454 em 2018. Os pontos críticos são situações que ocorrem ao longo da via que podem trazer graves riscos à segurança, como queda de barreira, ponte caída e buracos grandes. Em 2018 foram identificadas 13 quedas de barreira, 4 pontes caídas, 124 pontos com erosão na pista e 313 trechos com buraco grande. Gestão Do total de rodovias analisadas, 87.563 km são de estradas administradas pelo poder público e 19.598 km são de rodovias concedidas para a iniciativa privada. Entre as administradas pela iniciativa privada, 18,1% foram classificadas como regulares, ruins ou péssimas. Já entre as rodovias de gestão pública esse índice sobe para 65,8%. Segundo a CNT, a melhora no estado geral das rodovias deu-se devido a investimentos em sinalização, que incluem placas de limite de velocidade e faixas centrais.
Veja Mais

17/10 - Elon Musk comprará US$ 20 milhões em ações da Tesla
Acordo com o regulador norte-americano de valores mobiliários foi feito para encerrar um processo de fraude relacionado a declarações de Musk no Twitter. Elon Musk REUTERS/Bobby Yip O presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, comprará ações da empresa no valor de US$ 20 milhões na próxima sessão de negociação aberta, informou a montadora em um comunicado nesta quarta-feira (17). A Tesla e Musk concordaram em pagar US$ 20 milhões cada em um acordo com o regulador norte-americano de valores mobiliários, a Securities and Exchange Commission (SEC), para encerrar um processo de fraude relacionado a publicações que o executivo fez em agosto no Twitter. A montadora disse que a compra foi "separada e independente do acordo" entre Musk, Tesla e a SEC e não respondeu aos pedidos da Reuters para obter mais informações sobre os motivos da compra.
Veja Mais

17/10 - Tesla compra terreno em Xangai para sua fábrica de US$ 2 bi na China
A primeira 'gigafactory' da fabricante deverá ter capacidade de produzir 500 mil carros por ano, segundo acordo firmado com as autoridades de Xangai. Tesla REUTERS/Lucas Jackson A Tesla assinou um acordo com o governo de Xangai para um terreno de 860 mil metros quadrados para construir sua primeira gigafábrica no exterior, disse a montadora de carros elétricos em uma mídia social chinesa nesta quarta-feira (17). O negócio marca um passo fundamental para a empresa e seu presidente-executivo, Elon Musk, fabricar carros localmente para o mercado em rápido crescimento da China, mesmo com as tarifas impostas por Pequim aos produtos fabricados nos Estados Unidos que elevaram os preços de seus modelos importados. A Tesla assinou um acordo há muito esperado com as autoridades de Xangai em julho para construir sua primeira fábrica fora dos EUA, o que dobraria o tamanho de sua fabricação global e ajudaria a reduzir o preço dos carros da Tesla vendidos no maior mercado automotivo do mundo. "Garantir esse terreno em Xangai, a primeira 'gigafactory' da Tesla fora dos Estados Unidos, é um marco importante para o que será nosso próximo local de fabricação avançada e sustentável", afirmou Robin Ren, vice-presidente de vendas mundiais da Tesla. A Tesla não revelou o preço pelo terreno, mas o Departamento de Planejamento e Recursos Territoriais de Xangai informou nesta quarta-feira que um terreno de 864.885 metros quadrados foi vendido em um leilão por 973 milhões de iuanes (US$ 140,51 milhões). A montadora assinou um acordo com as autoridades de Xangai em julho para abrir uma fábrica na cidade chinesa com capacidade de produção anual de 500 mil carros. A fábrica ajudará a explorar o mercado em rápido crescimento da China para os chamados veículos de nova energia (NEVs), uma categoria que compreende carros elétricos à bateria e veículos elétricos plug-in híbridos, mesmo enquanto o mercado de automóveis mais amplo da China esfria. A Tesla, que começou a contratar para a nova fábrica de Xangai em agosto, disse anteriormente que levantaria capital dos mercados de dívida da Ásia para financiar a construção, que custará cerca de US$ 2 bilhões.
Veja Mais

17/10 - Jeep Renegade ganha visual atualizado no Brasil; veja preços
SUV traz só uma parte das mudanças dos modelos americano e europeu. Porta-malas ficou maior, mas fabricante não trouxe os novos motores turbo. Jeep Renegade 2019 ganha visual no Brasil A Jeep lançou nesta quarta-feira (17) na Praia do Forte (BA) a primeira atualização visual do Renegade, o segundo SUV compacto mais vendido do Brasil atualmente. As mudanças fazem parte da linha 2019, disponível em 6 versões. Veja os preços: Sport 1.8 flex manual - R$ 78.490 (era R$ 78.990) Sport 1.8 flex automática – R$ 83.990 (era R$ 85.490) Longitude 1.8 flex automática - R$ 96.990 (era R$ 91.490) Limited 1.8 flex automática - R$ 103.490 (era R$ 96.490) Longitude 2.0 diesel 4x4 automática - R$ 125.490 (era R$ 120.120) Trailhawk 2.0 diesel 4x4 automática - R$ 136.990 (era R$ 129.990) Por enquanto, as opções Custom e PcD ainda não estão disponíveis. A Limited equipada com motor diesel deixou de ser oferecida. Jeep Renegade Trailhawk 2019 André Paixão/G1 O SUV chega às lojas ainda em outubro. De acordo com a Jeep, quem comprar um Renegade 2019 até o final do ano ganha as 3 primeiras revisões. Considerando uma unidade 2018, os serviços sairiam por R$ 2.076. Compare o Renegade reestilizado brasileiro com o modelo europeu Divulgação Mudanças 'pela metade' Quem esperava que o Renegade brasileiro recebesse as mesmas intervenções visuais dos modelos americano e europeu, se enganou. A filial local da Jeep foi mais “econômica” nas mudanças. A dianteira, por exemplo, só recebeu a grade e os faróis renovados. Enquanto em outros países o para-choque foi redesenhado, a solução da Jeep para o Brasil foi adotar a peça que já era usada nas versões diesel em todas as configurações. Compare o Jeep Renegade como será vendido no Brasil e como é na Europa, após reestilização Divulgação A Jeep também manteve a traseira inalterada – enquanto o Renegade “gringo” recebeu lanternas atualizadas, com uma nova disposição das luzes. Fora isso, todas as rodas ganharam novo desenho. Elas vão de 16 a 19 polegadas, de acordo com o catálogo. Novos equipamentos Todas as versões do Renegade saem de fábrica com controles de tração e estabilidade, freio de estacionamento eletrônico e rodas de liga leve. A partir da Longitude, há uma nova central multimídia, com tela de 8,4 polegadas, com conectividade Android Auto e Apple CarPlay. Jeep Renegade 2019 André Paixão/G1 A opção de entrada, Sport, também traz uma central multimídia, mas com tela menor, de 5 polegadas. Interior do Jeep Renegade 2019 André Paixão/G1 Ainda no interior, os comandos do ar-condicionado são novos, e a versão Limited agora possui 7 airbags. Um dos maiores focos de reclamação do Renegade, o porta-malas ficou maior, graças à adoção do estepe de uso temporário. Agora, são 320 litros, mesma capacidade do Citroën C4 Cactus, e menor do que os grandes rivais, Honda HR-V, Nissan Kicks e Hyundai Creta, todos na casa dos 430 litros. Comparação entre o Renegade 2018 e 2019 Jeep/Divulgação Ainda sem turbo A Jeep decidiu manter as motorizações que o Renegade utiliza desde o lançamento. Isso inclui o eficiente 2.0 turbodiesel de 170 cavalos e 35,7 kgfm de torque, associado ao câmbio automático de 9 marchas e tração 4x4 com seletor de terreno. Por outro lado, ainda não será dessa vez que o Brasil terá os novos motores turbo a gasolina, baseados na família Firefly. Em vez de ser equipado com o 1.3 de 150 cv, o mercado local segue com o antigo 1.8 flex de 139 cv, que não é referência em desempenho ou consumo de combustível. Ele pode ser “casado” com a transmissão manual de 5 marchas, ou com a automática, de 6 marchas. A tração, nesse caso, é sempre dianteira. Jeep Renegade Limited 2019 André Paixão/G1
Veja Mais

17/10 - Porsche Panamera ganha versão GTS de 460 cavalos de potência
Motor 4.0 V8 biturbo leva o sedã e a perua Sport Turismo de 0 a 100 km/h em 4,1 segundos. Modelo deve chegar ao Brasil em 2019. Porsche Panamera GTS Divulgação/Porsche A nova geração do Porsche Panamera passou a ter mais uma configuração em seu portfólio, a GTS. Situada logo abaixo da topo de linha Turbo, a versão (também presente na perua Sport Turismo) deve chegar ao Brasil em 2019. Tanto o sedã, quanto a perua, passam pelas mesmas alterações visuais. Há novos para-choques com aberturas em evidência, rodas aro 20 (pretas ou pratas, de acordo com a carroceria), aerofólio preto (para a Sport Turismo) e a ausência total de cromados, substituídos por acabamentos em preto brilhante. Porsche Panamera GTS Sport Turismo Divulgação/Porsche No interior, os Panamera GTS têm soleira com o nome da versão e cintos na cor vermelha. O head-up display colorido é novidade. Debaixo do capô está presente um motor 4.0 V8 biturbo de 460 cv de potência e 63,2 kgfm de torque. Ele é auxiliado pelo câmbio PDK de dupla embreagem e 8 velocidades e pela tração interal. De acordo com a marca, Panamera GTS e Panamera GTS Sport Turismo vão de 0 a 100 km/h em 4,1 segundos e têm velocidade máxima de 292 km/h e 289 km/h, respectivamente. Porsche Panamera GTS Divulgação/Porsche
Veja Mais

17/10 - Mini Cabrio tem pré-venda no Brasil a partir de R$ 146.990
Modelo chega em três versões diferentes: Cooper, Cooper S e John Cooper Works. Ele será apresentado no Salão de São Paulo e as entregas estão previstas para o início de novembro. Mini Cooper Cabrio Divulgação/Mini A Mini iniciou a pré-venda do novo Mini Cabrio no Brasil, com previsão de começar as entregas no dia 6 de novembro. A data não é por acaso, já que ele será a atração da marca no Salão de São Paulo, que abre as portas no dia 8 de novembro. Veja mais de 50 carros esperados para o Salão de SP O conversível chega ao país em três configurações diferentes, todas fabricadas em Born, na Holanda. Veja os preços e os conteúdos das versões: Mini Cooper Cabrio - R$ 146.990 Mini Cooper S Cabrio - R$ 176.990 Mini John Cooper Works Cabrio - R$ 196.990 Mini Cooper Cabrio Divulgação/Mini Mini Cooper Cabrio - R$ 146.990 A versão de entrada é equipada com motorização 1.5 turbo de três cilindros com 136 cv de potência e 22,4 kgfm de torque e câmbio automático de 7 marchas e dupla embreagem. Entre os itens de série, há ar-condicionado digital de duas zonas, volante multifuncional revestido de couro, rodas aro 17 com pneus runflat, sensores de estacionamento traseiros, pacote de iluminação ambiente, piloto automático e central multimídia. Mini Cooper S Cabrio - R$ 176.990 A configuração intermediária troca o motor por um 2.0 turbo de 192 cv de potência e 28,5 kgfm de torque. O câmbio é o mesmo de 7 marchas, mas com opção de trocas manuais por aletas atrás do volante. Na lista de equipamentos, ele acrescenta bancos de couro, ajuste eletrônico de amortecimento, faróis de led adaptativos, seletor de modos de condução, head-up display, central multimídia de 8,8" com Apple CarPlay, câmera de ré, sistema de som Harman/Kardon e rodas aro 17 com desenho exclusivo. Mini John Cooper Works Cabrio Divulgação/Mini Mini John Cooper Works Cabrio - R$ 196.990 O esportivo JCW adiciona, além do visual esportivo em rodas, faixas e bancos dianteiros com ajuste de altura, o motor 2.0 turbo de 231 cv de potência e 32,6 kgfm de torque e o câmbio automático de 8 marchas. Initial plugin text
Veja Mais

17/10 - Troller mostra T4 2019 e anuncia atrações para o Salão de SP
Utilitário agora parte de R$ 133.706 e ganha central multimídia da JBL. Para o Salão do Automóvel, a marca terá entre seus destaques um conceito apresentado por holograma. Troller T4 2019 - vermelho Toscana e cinza Moscou são novidades Divulgação/Troller O Troller T4 chegou à linha 2019 com novidades nos equipamentos, na paleta de cores e nos preços: agora, ele começa em R$ 133.706. O modelo tem presença confirmada no Salão do Automóvel, ao lado de outras atrações preparadas pela marca. Veja mais de 50 modelos esperados para o Salão de SP De série com ar-condicionado digital de duas zonas, teto solar duplo e computador de bordo, o T4 agora tem uma nova central multimídia da JBL/Harman, com tela de 6,5 polegadas sensível ao toque. Entre as cores, ele estreia o vermelho Toscana e o cinza Moscou. Na mecânica, o modelo segue sem alterações e equipado com o motor 3.2 turbodiesel de 200 cv de potência, câmbio manual de seis marchas e tração 4x4. Troller T4 ganha central multimídia JBL Divulgação/Troller Atrações do Salão Para a mostra paulistana que abre as portas em novembro, a Troller confirmou a presença de ao menos três variações do T4. A primeira será um modelo recheado de acessórios originais, como snorkel, guincho, para-choques de aço, entre outros. O conceito TX4, segundo a marca, apontará para o futuro do desenvolvimento do T4 e terá uma nova combinação de cores. Um outro conceito, futurista, será apresentado em formato de holograma e testará a aceitação do público para uma próxima mudança visual no utilitário.
Veja Mais

17/10 - Peugeot Expert tem recall por problema no amortecedor traseiro
De acordo com a marca, componentes podem se soltar com o veículo em movimento, com possíveis danos nos freios e vazamento de combustível. Peugeot Expert começa a ser vendido neste mês, a partir de R$ 79.990 Divulgação A Peugeot inicou nesta quarta-feira (17) um recall para o furgão Expert. O problema é o mesmo do "primo" Citroën Jumpy, convocado para reparos na suspensão traseira. De acordo com a marca, um dimensionamento inadequado do ponto de fixação superior do amortecedor traseiro pode ocasionar o desprendimento do amortecedor. Com isso, há risco de queda de componentes com o veículo em movimento, danos nos freios e vazamento de combustível. Para solucionar a falha, a Peugeot convoca unidades produzidas entre 6 de setembro e 5 de dezembro de 2017, com chassis não sequenciais de JA000004 a JA000860, para a substituição dos amortecedores. Para mais informações, estão disponíveis o telefone 0800 703 2424 e o site www.peugeot.com.br.
Veja Mais

17/10 - Harley-Davidson lança linha 2019 no Brasil; preços vão de R$ 42,4 mil a R$ 172,9 mil
Modelos mais luxuosos ganham nova central multimídia, com tela de 6,5 polegadas, que promete funcionar como tablet; veja a lista completa de valores. Harley-Davidson renova linha touring Harley-Davidson/Divulgação Além das inéditas FXDR, Iron 1200 e Sportglide, a Harley-Davidson divulgou a linha completa de preços de sua linha 2019 no Brasil. Harley terá aventureira, moto de baixa cilindrada e elétricas Outra novidade importante foi a renovação de sua linha touring que ganhou nova tela de navegação e entretenimento, pela primeira vez, compatível com sistema CarPlay da Apple. Veja a lista de preços completa: Iron 883: R$ 42.400 Iron 1200: R$ 46.900 Forty-Eight: R$ 49.500 Street Bob: R$ 58.400 Fat Bob: R$ 62.300 Fat Bob 114: R$ 69.900 Softail Slim: R$ 67.400 Deluxe: R$ 71.100 Fat Boy: R$ 71.400 Fat Boy 114: R$ 77.200 Heritage Classic: R$ 75.300 Breakout 114: R$ 77.200 Sport Glide: R$ 73.400 FXDRS 114: R$ 80.200 Road King Classic: R$ 79.900 Road King Special: R$ 82.400 Street Glide Special: R$ 95.400 Road Glide Special: R$ 97.400 Road Glide Ultra: R$ 101.900 Ultra Limited: R$ 102.900 CVO Road Glide: R$ 155.900 CVO Street Glide Special: 155.900 CVO Limited: 172.900 De acordo com a montadora, os modelos já estão chegando gradualmente até as concessionárias e todas as novidades devem estar disponíveis até o início de dezembro. Todas motos têm freios ABS de série. 'Tablet' na moto Para as grandes estradeiras da montadora americana, conhecidas como touring, a principal novidade está na chegada do sistema de informação e navegação chamado de "Boom Box GTS", com tela de 6,5 polegadas. "Acreditamos que a resposta da tela tem que ser como de um tablet", explica Flávio Villaça, gerente de marketing da Harley-Davidson para a América Latina. Novo sistema multimídia da Harley promete funcionar como tablet Harley-Davidson/Divulgação O novo sistema é uma evolução da central multimídia que fez estreia nos modelos H-D em 2014. Além de mudar a interface e comandos, o dispositivo passa a contar com conectividade com o CarPlay da Apple, que permite "espelhar" na moto. Por enquanto, ainda não há disponibilidade do Android Auto para as motos Harley-Davidson. Além da linha CVO, a nova central multimídia está disponível nos modelos Ultra Limited, Road Glide Ultra, Road Glide Special e Street Glide Special. Harley-Davidson Ultra Limited 2019 Harley-Davidson/Divulgação Outra novidade é que agora todos modelos touring, a não ser a Road King Classic, passam a ter a versão mais potente do motor Milwaukee-Eight, de 114 polegadas cúbicas. O V2 de 1.868 cc substitui o V2 de 1.750 cc, que permanece na Road King. Iron 1200 Para expandir sua linha de entrada Sportster, a Harley-Davidson criou uma "irmã maior" para a Iron 883, ganhando motor maior, assim foi desenvolvida a Iron 1200. De acordo com a montadora, o V2 de 1200 cc rende 36% mais torque quando comparado ao motor menor, passando de 6,83 kgfm para 9,5 kgfm. Um destaque importante é o guidão elevado, em 222 mm, que traz um estilo diferenciado para a Iron 1200. Seu preço é de R$ 46.900. Harley-Davidson Iron 1200 Harley-Davidson/Divulgação Sport Glide A Sport Glide, outro modelo que faz estreia na linha 2019 da H-D, mistura conceitos de duas linhas da montadora. Apesar de sua base ser Softail, a concepção de seu visual, com bolha na dianteria e maletas nas laterais, é inspirada nas touring. A capacidade de cada uma das malas laterais é de 25,5 litros de carga, o que demonstra o foco para viagens na moto. Seu motor é o Milwaukee-Eight 107 e custa R$ 73.400. Harley-Davison Sport Glide Harley-Davidson/Divulgação Harley-Davidson FXDR Criada como primeiro moto "diferentona" da nova fase da Harley-Davidson, a FXDR deixa de lado um pouco as linhas clássicas da empresa para ganhar um visual mais moderno e esportivo. Logo após fazer a estreia mundial, em agosto passado, a FXDR chega às lojas do Brasil até o início de dezembro, com preço sugerido de R$ 80.200. Sua base é a linha softail, que foi renovada recentemente com a chegada da nova Fat Bob. Seu motor é o conhecido Milwaukee-Eight 114, de 2 cilindros e 1.868 cc de cilindrada. Harley-Davidson FXDR 114 Harley-Davidson/Divulgação Harley-Davidson lança linha 2019 no Brasil Harley-Davidson/Divulgação
Veja Mais

16/10 - Rival do Uber nos EUA lança plano mensal para viagens
Lyft vai cobrar valor fixo que dá direito a 30 viagens por mês. Uber testa opção semelhante. Carros com os adesivos de Uber e Lyft na Califórnia REUTERS/Lucy Nicholson A Lyft, principal rival do Uber nos Estados Unidos, lançou um plano mensal para seu serviço de transporte. Por US$ 299 (equivalente a R$ 1.100), o cliente tem direito a 30 viagens, desde que cada uma não passe de US$ 15 (R$ 56). Se a jornada for mais cara, o usuário terá de pagar a diferença. O plano chamado All-Access Pass também dá desconto de 5% nas viagens extras no mês. "Este é o primeiro passo rumo ao nosso objetivo de tornar a posse de um carro opcional", dsse a empresa em comunicado. A Lyft tem entre seus investidores a General Motors, dona da Chevrolet. E a GM também tem apostado em uma divisão, chamada Maven, voltada a outro tipo de relação do consumidor com o carro: o compartilhamento. O Uber está testando um plano mensal similar ao da Lyft, com descontos em viagens. Receita aumenta A receita da Lyft mais que dobrou no 1º semestre do ano, para US$ 909 milhões, na comparação com o mesmo período de 2017, informou o site The Information à agência Reuters, no mês passado. A receita do Uber no mesmo período foi de U$ 2,8 bilhões, um aumento de mais de 60% em relação a 1 ano atrás. As duas empresas também acumularam prejuízos à medida que investiram muito para entrar em novos mercados e atrair motoristas para suas plataformas, embora as perdas tenham diminuído nos últimos anos. Ambas estariam considerando negociar ações na bolsa dos EUA a partir do ano que vem.
Veja Mais

16/10 - Montadoras alemãs podem ficar fora da elite global daqui a 10 anos, diz 'chefão' da Volkswagen
Diess afirma que principais desafios são a velocidade de adaptação da produção de carros comuns para carros elétricos, e as novas ameaças geopolíticas. Herbert Diess, presidente da Volkswagen Divulgação Regras mais rígidas na Europa poderão tirar algumas montadoras alemãs da liderança do mercado, afirmou o presidente do grupo Volkswagen, Herbert Diess, nesta terça-feira (16). Para ele, os principais desafios serão o ritmo das reformas necessárias para as fabricantes migrarem para a produção de carros elétricos e as novas ameaças geopolíticas. Por que os carros movidos a gasolina e diesel estão com os dias contados em países europeus e vários emergentes "Do ponto de vista atual, as chances talvez sejam de 50% de que a indústria automobilística alemã ainda pertença à elite global daqui a 10 anos", disse ele, referindo-se a Volkswagen, BMW e Daimler, dona da Mercedes-Benz. Os fabricantes de carros têm se queixado das novas regulamentações, incluindo a proibição de veículos a diesel mais antigos em cidades alemãs e medidas mais amplas da União Europeia para reduzir as emissões de poluentes, dizendo que vão prejudicar a indústria automobilística da Europa e custarão empregos. A associação da indústria automotiva alemã, VDA, disse que a proibição da circulação de veículos movidos a combustão a partir de 2030 ameaça mais de 600 mil empregos industriais alemães, dos quais 436 mil estão em montadoras e seus fornecedores. "Se você olhar para os antigos bastiões da indústria automobilística, como Detroit (EUA), Cowley Oxford (Inglaterra) ou Turim (Itália), você entende o que acontece com cidades quando as empresas outrora poderosas e líderes industriais fraquejam," disse o presidente-executivo Herbert Diess em conferência de fornecedores automotivos Wolfsburg. Detroit é o berço das principais montadoras americanas: General Motors, dona da Chevrolet, Ford e Chrysler. Viveu seu auge nos anos 60 e chegou a pedir falência em 2013, durante a crise econômica mundial. A cidade de Turim foi a sede da Fiat, antes de a montadora comprar a Chrysler e se tornar a FCA, com sede no Reino Unido -mas a cidade continua a ter fábrica da marca. E Cowley, em Oxfordshire, foi a casa da Morris Motors e se tornou uma grande área industrial na Inglaterra entre as décadas de 20 e 60. Hoje abriga a fábrica da Mini, marca da BMW.
Veja Mais

16/10 - Jeep anuncia preço do Renegade Sport 2019
Versão intermediária do SUV custará R$ 83.990, menos do que os R$ 85.490 do modelo 2018. Versão europeia do Jeep Renegade 2019 Divulgação A Jeep anunciou nesta terça-feira (16) que a versão Sport do Renegade 2019 custará R$ 83.990, quando equipada com motor 1.8 flex e câmbio automático de 6 marchas. A marca não informou quais itens serão de série na versão. No entanto, o valor é consideravelmente mais baixo do que o Sport na linha 2018, que custa R$ 85.490. Na linha 2019, o Renegade passará pela primeira atualização visual. Por enquanto, ainda não há imagens do modelo brasileiro, apenas da versão europeia. Por lá, mudaram para-choque, grade frontal e a disposição das luzes auxiliares. Em algumas versões, os faróis ganharam luzes de LED.
Veja Mais

16/10 - BMW X2 ganha versão 'mais barata' por R$ 191.950
Configuração de entrada sDrive18i GP tem inédito motor 1.5 de três cilindros turbo flex de 136 cv de potência e tração dianteira. BMW X2 sDrive18i Divulgação/G1 Lançado no Brasil em abril deste ano, o BMW X2 ganha uma opção mais acessível - ou quase isso, já que a nova versão de entrada, sDrive18i GP, parte de R$ 191.950. A principal diferença da configuração para as mais caras está no motor menor. No lugar do 2.0 turbo de 192 cv, o modelo utiliza o inédito 1.5 turbo de tímidos 136 cv de potência e 22,4 kgfm de torque. O câmbio é automático de seis marchas e, a tração, dianteira. De acordo com a marca, o X2 de entrada vai de 0 a 100 km/h em 9,7 segundos, com velocidade máxima de 200 km/h. De série, o modelo tem sensores estacionamento dianteiros e traseiros, câmera de ré, central multimídia com GPS nativo e Apple CarPlay, ar-condicionado digital de duas zonas, bancos do motorista e do passageiro com ajustes elétricos, rodas aro 18 e seletor de modos de condução.
Veja Mais

16/10 - Novo Chevrolet Camaro estará no Salão do Automóvel de São Paulo
Esportivo ganhou visual renovado em abril deste ano. Além do novo desenho, ele passa a ter câmbio automático de 10 marchas. Chevrolet Camaro 2019 Divulgação A Chevrolet confirmou nesta terça-feira (16) que levará o Camaro renovado ao Salão do Automóvel de São Paulo, que acontece entre os dias 8 e 18 de novembro, no São Paulo Expo. O esportivo passou pela primeira reestilização da 6ª geração em abril deste ano, e ainda não havia sido confirmado para o Brasil. Chevrolet Camaro 2019 Divulgação As maiores alterações estão na dianteira. A versão SS, a única vendida no Brasil, passou a ter grade em um conjunto único, que vai desde a lateral dos faróis até a parte mais inferior, já no spoiler. No modelo atual, o componente é dividido em 2 peças. O Camaro SS mantém o motor V8 de 6.2 litros e 461 cavalos. A novidade na parte mecânica é a adoção da transmissão automática de 10 marchas - a mesma utilizada pelo grande rival, Ford Mustang. Falando no Mustang, o Camaro também ganhou um equipamento presente no Ford. É o bloqueio de linha, que trava as rodas traseiras, permitindo "queimar" o pneu - recurso muito utilizado em competições de arrancadas. Initial plugin text
Veja Mais

16/10 - Juiz dos EUA aprova acordo entre SEC, Tesla e Elon Musk
Tesla e Musk concordaram em pagar multas de US$ 20 milhões para encerrar uma ação de fraude movida pela SEC Elon Musk na apresentação do novo Roadster Tesla/Handout via REUTERS Um juiz norte-americano aprovou nesta terça-feira (16) o acordo entre a SEC, o órgão regulador de valores mobiliários dos Estados Unidos, a montadora Tesla e seu presidente-executivo, Elon Musk. Musk concordou em pagar uma multa de US$ 20 milhões e se afastar da presidência do conselho da montadora por três anos para encerrar acusações que poderiam ter forçado sua saída da Tesla. A empresa também pagará uma multa de 20 milhões de dólares, apesar de não ser acusada de fraude. As ações da empresa foram atingidas no mês passado depois que a SEC acusou Musk de fraude em tuítes em que o executivo anunciou uma proposta para fechar o capital da montadora e afirmou ter financiamento garantido. Segundo o acordo anunciado em 29 de setembro, a Tesla deve nomear um presidente independente para o conselho, dois diretores independentes e um comitê para estabelecer controles sobre as comunicações de Musk, que tem usado a rede social Twitter para dar informações sobre a empresa. Em 4 de outubro, poucas horas depois de o tribunal ordenar que o executivo e a SEC explicassem por que o acordo era justo e razoável, Musk pareceu zombar da SEC no Twitter. "Apenas quero dizer que a Comissão de Enriquecimento de Shortsellers está fazendo um trabalho incrível", escreveu Musk em sua conta no Twitter, um crítico frequente dos shortsellers, investidores que apostam contra uma empresa no mercado de ações.
Veja Mais

16/10 - Citroën faz recall do Jumpy no Brasil por defeito no amortecedor traseiro
Unidades foram fabricadas entre 6 de setembro de 2017 e 5 de dezembro de 2017. Citroën Jumpy Divulgação A Citroën anunciou o recall do modelo Jumpy no Brasil, de unidades fabricadas entre 6 de setembro de 2017 e 5 de dezembro de 2017, por possibilidade de defeito no amortecedor traseiro. O problema é o mesmo do Peugeot Expert. Veja os chassis envolvidos: De JA000038 a JA001021 De acordo com a montadora, houve um dimensionamento inadequado do ponto de fixação superior do amortecedor traseiro, o que pode ocasionar, em alguns casos, o desprendimento parcial do amortecedor. Isso pode levar a danos no sistema de freios e combustível, além da queda de componentes da suspensão em movimento. Como resultado, pode gerar a perda parcial de frenagem, vazamento de combustível e queda de componentes, gerando risco de acidentes e danos físicos e materiais aos ocupantes do veículo e terceiros. O reparo gratuito pode ser feito nas concessionárias da empresa das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira, e tem duração estimada de 2 horas. A empresa disponibiliza o telefone 0800 011 8088 e o site www.citroen.com.br para mais informações.
Veja Mais

16/10 - Audi pagará 800 milhões de euros de multa na Alemanha no caso dos motores a diesel manipulados
Caso conhecido como "Dieselgate" custou mais de 27 bilhões de euros em recalls e processos judiciais ao grupo Volkswagen. Software adulterava emissões de poluentes dos carros. Veículo com motor a diesel da Audi é visto em lava-rápido nesta terça-feira (16), em Hanau, na Alemanha Kai Pfaffenbach/Reuters A montadora Audi, filial do grupo alemão Volkswagen, pagará uma multa de 800 milhões de euros pelo caso dos motores a diesel manipulados, anunciou a empresa, nesta terça-feira (16). "A Audi aceitou a multa", afirma um comunicado, que também explica que o pagamento terá um impacto negativo no resultado de 2018 do grupo. Até agora, o "Dieselgate" custou ao grupo mais de 27 bilhões de euros em recalls e processos judiciais. O valor inclui uma multa de mais de um bilhão anunciada em junho pelo Ministério Público de Brunswick e que já foi contabilizada no resultado do segundo trimestre. A Procuradoria de Munique indicou que "ficaram evidenciadas violações na supervisão" dentro da empresa "a respeito da homologação de carros a diesel, que não respeitam a regulamentação". "A multa não tem impacto nas investigações da Procuradoria de Munique, direcionada a pessoas no âmbito do caso diesel", informa um comunicado. Histórico do caso O caso dos motores a diesel manipulados foi revelado em setembro de 2015, quando a Agência de Proteção do Meio Ambiente (EPA) dos Estados Unidos denunciou a Volkswagen. A EPA acusou a montadora de ter instalado em 11 milhões de veículos a diesel - 600.000 deles vendidos nos Estados Unidos - um software que manipulava os resultados dos testes de poluição e ocultava as emissões reais, até 40 vezes superiores às permitidas.
Veja Mais

16/10 - Caoa Chery Tiggo 4 aparece rodando em testes no interior de Goiás
Lançamento será no Salão do Automóvel, em novembro. Modelo será o primeiro de origem chinesa a ser produzido na fábrica da Caoa em Anápolis. Caoa Chery Tiggo 4 rodando no interior de Goiás Breiner Canedo/VC no G1 Uma das novidades prometidas pela Caoa Chery para o Salão do Automóvel de São Paulo, o Tiggo 4 já roda em testes pelo Brasil. O internauta Breiner Canedo fotografou na última sexta-feira (12) uma unidade rodando com camuflagem. Apesar de não esconder as medidas e os traços do produto, o disfarce cobre toda a carroceria. Viu carro não lançado? Mande foto ou vídeo para o VC no G1 ou pelo Whatsapp/Viber, no telefone (11) 94200-4444, usando a hashtag #g1carros Segundo Canedo, as fotos foram feitas em Abadiânia (GO), cidade vizinha de Anápolis, onde está localizada a fábrica da Caoa. Caoa Chery Tiggo 4 Divulgação Nota da redação: O Tiggo 4 aparecer no interior de Goiás é um forte indicativo de que a produção na unidade de Anápolis está prestes a ser iniciada. Aliás, o Tiggo 4 será o primeiro veículo com a marca Chery a ser feito na unidade de Anápolis. Hoje, apenas modelos da Hyundai são produzidos lá. O Tiggo 4 será revelado em novembro, mas suas vendas começam apenas em 2019. A Caoa Chery confirmou que ele terá motor turbo. No caso, um 1.5 de 147 cavalos. A transmissão deve ser de dupla embreagem. O SUV compacto é um pouco maior do que Nissan Kicks e Honda HR-V. Ele tem 4,34 metros de comprimento e 2,63 m de entre-eixos. Ele possui alguns equipamentos interessantes, comparando com os futuros rivais brasileiros. Há freio de estacionamento elétrico, suspensão traseira multilink e partida por botão.
Veja Mais

16/10 - 'Pai' do novo BMW Série 3 fala sobre tradição esportiva: 'É de onde viemos, é para onde vamos'
Produto mais conhecido da marca alemã chega à 7ª geração com inteligência artificial e condução semi-autônoma. Por outro lado, essência da esportividade foi preservada. Nova geração do BMW Série 3 é apresentada no Salão de Paris 2018 Eric Piermont/AFP Modificar um veículo que tem características muito marcantes é sempre um grande desafio para engenheiros e designers. Afinal, corre-se o risco de que o carro perca sua essência, e, como consequência, fãs e clientes. No caso do BMW Série 3, que teve a 7ª geração lançada no Salão de Paris, a tarefa foi manter a esportividade e a dinâmica de condução que fazem o sedã famoso há mais de 40 anos. Gerações anteriores do BMW Série 3 Divulgação Ainda não foi possível dirigir a novidade, mas o G1 conversou com o Thomas Baeumer, chefe de projeto do novo Série 3. Ele contou como a equipe da BMW trabalhou para criar esta nova geração, que está confirmada para o Brasil na metade do ano que vem. “A renovação do Série 3 está baseada em 3 pilares: desenho, dinâmica de condução e tecnologia”, disse Baeumer. Ele também explicou que o carro nasceu do zero, mas com diretrizes bem definidas. “Cada pedaço é novo. Mas mantivemos a essência de um sedã esportivo. É de onde viemos, e é para onde vamos”, falou. Para permitir que o modelo passasse por melhorias de segurança, tecnologia e dirigibilidade, a marca adotou a plataforma dos sedãs maiores, Série 5 e Série 7. Segundo o chefe do projeto, as equipes que criaram no novo Série 3 começaram a trabalhar há 5 anos. Hey, BMW Interior do novo BMW Série 3 Divulgação Para continuar forte em seu segmento, o Série 3 incorporou diversas tecnologias que devem se tornar tendências nos próximos anos. É o caso do novo assistente pessoal, que utiliza inteligência artificial para auxiliar os ocupantes em diversas tarefas. Tudo comandado por voz, usando o comando “Hey, BMW” - o sistema é semelhante ao apresentado recentemente pela Mercedes-Benz. Por exemplo, se o motorista “chama” o veículo, e diz que está cansado ou estressado, o veículo modifica a música ambiente e a temperatura do ar-condicionado, para fazer com que o condutor se sinta melhor. Assistente pessoal do novo BMW Série 3 Divulgação Além disso, é possível planejar rotas, pedir auxílio para encontrar restaurantes e postos de combustível e saber se há alguma anormalidade com o veículo. O sistema já está apto para “conversar” com os proprietários em 23 idiomas (incluindo português), e tem respostas para mais de mil perguntas, número que deve crescer rapidamente, já que o sistema aprende conforme os usuários utilizam a tecnologia. “É um bebê pequeno, que ainda vai crescer”, brincou Baeumer. Versão híbrida e ‘irmão’ elétrico Detalhe da versão híbrida do BMW Série 3 Divulgação Outra novidade é a chegada de uma nova versão híbrida plug-in (que pode ser carregada na tomada), chamada de 330e. Ela será lançada no ano que vem, e ainda não há outras informações. Mas, ao menos por enquanto, o Série 3 não terá uma versão totalmente elétrica. Afinal, essa será a missão do inédito i4, confirmado pela BMW no Salão de Paris para 2021, usando a mesma plataforma do Série 3. Tão equipado quanto um Série 5 Novo BMW Série 3 é apresentado no Salão de Paris 2018 Eric Piermont / AFP O novo Série 3 terá o mesmo nível de assistência de condução semi-autônoma dos "irmãos" maiores, Série 5 e Série 7. Isso deve incluir a manutenção automática de faixa e o controle de velocidade adaptativo, que segue o veículo da frente. Outra novidade, esta inédita na BMW, é a suspensão com batentes hidráulicos progressivos, que garantem uma espécie de dose extra de amortecimento, evitando as conhecidas "batidas secas" no fim do curso. A tecnologia já é usada pela Citroën, para aumentar o conforto. Na BMW, no entanto, o foco é garantir maior estabilidade. "É um Série 3, e vai continuar sendo um Série 3", definiu Baeumer. Trabalho ininterrupto Nova geração do BMW Série 3 Divulgação Mesmo com avanços significativos, ainda é possível reconhecer o Série 3 pelo visual. Ainda que a traseira tenha ganhado lanternas com formato bastante diferente, dianteira e lateral preservaram os traços de gerações anteriores, como o desenho das janelas e dos faróis com as pontas “afiadas”. Desde a primeira geração, de 1975, a cabine também evoluiu. Ao longo dos anos, o número de botões aumentou, e diminuiu recentemente, substituídos por telas sensíveis ao toque. No entanto, os comandos voltados para o motorista sempre permaneceram intactos. E o próximo M3? O chefe do projeto também afirmou que o ciclo de vida desta geração é de 7 anos, mas que os trabalhos para atualizar o modelo começam bem antes. “Vamos começar a pensar [em mudanças] daqui cerca de dois anos”, completou. Antes das primeiras mudanças, a equipe de Baeumer ainda está trabalhando no próximo M3, a versão mais esportiva do sedã. Ele disse que o modelo será lançado “em breve”, mas, quando questionado se o modelo perderia a tradicional tração integral, despistou. “Ainda é cedo para falar sobre tração traseira ou integral”, brincou. Aos fãs, resta aguardar. Porém, pelo cuidado com que a BMW tem tomado ao renovar o Série 3, é possível que haja uma boa surpresa. VÍDEO: CONHEÇA O NOVO BMW SÉRIE 3 BMW mostra nova geração do Série 3, que chega ao Brasil na metade de 2019
Veja Mais

15/10 - Fiat Argo encarece e retoma versões 3 meses depois da virada de linha
Hatch agora parte de R$ 46.490 e tem de volta versões intermediárias com motor 1.8. Fiat Argo Precision 2019 Divulgação Apenas 3 meses depois de lançar a linha 2019 do Argo, a Fiat reajustou novamente os preços do hatch. As versões ficaram, em média, R$ 1,5 mil mais caras. Além disso, está de volta a configuração Precision, com motor 1.8 de 139 cavalos e câmbio manual de 5 marchas ou automático de 6 marchas. Veja os novos preços do Argo 2019: Argo 1.0: R$ 46.490 (era R$ 44.990 na virada, em julho) Argo Drive 1.0: R$ 49.490 (era R$ 47.990) Argo Drive 1.3: R$ 55.090 (era R$ 53.990) Argo Drive 1.3 GSR: R$ 61.190 (era R$ 59.590) Argo Precision 1.8: R$ 63.790 Argo Precision 1.8 AT6 : R$ 68.190 Argo 1.8 HGT: R$ 67.490 (era R$ 65.990) Argo 1.8 HGT AT6: R$ 72.990 (era R$ 71.990) Configuração que voltou Fiat Argo Precision 2019 Divulgação A versão Precision, que fazia parte da linha 2018, foi retomada. Quando fez a virada de linha do Argo, em julho, a Fiat já tinha avisado que ela seria revista. A Precision 1.8 com câmbio manual ficou um pouco mais cara. Em maio, ainda na linha 2018, custava R$ 62.290. Agora, cobra R$ 63.790. A configuração com câmbio automático de 6 marchas ficou R$ 100 mais barata na mesma comparação. A Precision já oferecia controle de estabilidade (ESC) e de tração, assistência de partida em subida, controle de velocidade de cruzeiro, retrovisores externos elétricos e com setas integradas, sistema Start&Stop e vidros elétricos traseiros com um toque. Versões mais 'pobres' Fiat Argo Precision 2019 Divulgação A Fiat também promoveu uma retirada de diversos equipamentos nas outras versões do Argo um ano após o lançamento. Com isso, vários itens interessantes, como a central multimídia de 7 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay, o volante multifuncional, rodas de liga leve e faróis de neblina passam a ser de série apenas na Precision. Antes, eles já estavam disponíveis, de série, na Drive com motor 1.3. Agora, são oferecidos de forma opcional, em pacotes, de acordo com a configuração.
Veja Mais

15/10 - Mitsubishi vai mostrar nova geração da L200 no início de novembro
Picape deve ganhar identidade visual já presente no Eclipse. Geração atual foi lançada há 3 anos. Mitsubishi divulga primeira imagem da nova L200 Divulgação A Mitsubishi vai celebrar os 40 anos da picape L200 com novidades. A marca japonesa confirmou nesta segunda-feira (15) que vai mostrar no dia 9 de novembro a sexta geração do modelo. Por enquanto, a única imagem divulgada pela Mitsubishi é a dianteira do modelo encoberta por um rastro de poeira. É possível perceber novo desenho de faróis e grade. O foco das maiores mudanças, o para-choque, no entanto, ficou ofuscado. Veja como anda o Mitsubishi Eclipse Cross A dianteira deve adotar o estilo conhecido como Dynamic Shield, já presente em outros modelos da empresa, como o ASX e o recém-lançado Eclipse. Imagem divulgada pela Mitsubishi com a nova geração da L200 Divulgação Segundo a Mitsubishi, a nova L200 foi desenvolvida a partir de opiniões de clientes de todo o mundo, e terá melhorias em segurança, desempenho, refinamento e durabilidade. A atual L200 foi lançada em 2015. Portanto, ela terá vida mais curta do que o comum. Geralmente, as picapes trocam de geração a cada oito ou dez anos, com uma atualização visual na metade deste intervalo.
Veja Mais

15/10 - BMW firma parceria para reciclagem de baterias de veículos elétricos
Objetivo é dar uma segunda vida às baterias, como produtos de armazenamento. BMW destacou carros elétricos no último Salão de Frankfurt, em 2017 AP Photo/Martin Meissner A BMW criou uma empresa de reciclagem de baterias de veículos com a empresa belga de reciclagem e materiais Umicore e a Northvolt, que está construindo uma fábrica desses equipamentos na Suécia. Leia mais sobre carros elétricos O empreendimento tem como objetivo projetar e comercializar um "ciclo de vida fechado" para dar às baterias automotivas uma segunda vida como produtos de armazenamento antes de se reciclar as matérias-primas, disseram as empresas. A montadora alemã tem planos de começar a produzir veículos elétricos em massa até 2020. Concorrência Os governos europeus querem incentivar a indústria doméstica de baterias a competir com concorrentes asiáticos como a BYD, a CATL, a Samsung e a LG Chem, que estão assumindo uma posição dominante. A BMW, que tem acordos de fornecimento com a Samsung e a CATL, informou que pode comprar baterias da Northvolt no futuro, mas disse que é cedo demais para assinar um acordo com a empresa, que está construindo uma fábrica que pretende produzir 32 gigawatts-hora (GWh) em capacidade de bateria por ano até 2023. "Temos este consórcio porque vemos grande potencial e a Northvolt poderia ser outra fornecedora de células de bateria para nós", disse o porta-voz da BMW, Niklas Drechsler, após anunciar o empreendimento de reciclagem. Na parceria com a Northvolt e a Umicore, a BMW informou que fez um investimento inicial de quantia não revelada e fornecerá sua expertise no desenvolvimento de células de bateria. A Umicore será responsável pelo desenvolvimento e reciclagem de materiais anódicos e catódicos ativos.
Veja Mais

15/10 - Crescimento de vendas e produção de veículos deve desacelerar em 2019, prevê Anfavea
Crise argentina ainda pressionará a produção, afirma Megale. País vizinho é o principal destino de exportações das montadoras instaladas no Brasil. Fábrica da Volkswagen em Taubaté (SP), que está em férias coletivas Divulgação A indústria de veículos do Brasil deve desacelerar o ritmo de crescimento das vendas e produção em 2019, previu nesta segunda-feira (15) o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Segundo Antonio Megale, o crescimento das vendas internas em 2019 deverá ser "de dois dígitos baixos, um pouco abaixo deste ano". A Anfavea espera para 2018 crescimento de 13,7% nas vendas internas, para 2,546 milhões de veículos, após alta de 9% em 2017. Megale também afirmou, durante evento promovido pela AutoData, que a produção deve crescer "um pouco abaixo de 2 dígitos" em 2019, pressionada pela crise argentina, principal mercado externo do setor. A previsão da Anfavea para este ano é de crescimento de 11% na produção, para 3 milhões de unidades. "Independente do governo que assumir no próximo ano, o mercado (interno) vai crescer 10% a 14%. Tem estrutura macroeconômica que permite isso. Os juros estão baixos, o PIB está voltando, os bancos estão emprestando", disse Megale. "O que está difícil é a exportação e isso depende muito da Argentina, que ainda vai ter dificuldades no primeiro semestre do ano que vem", acrescentou o presidente da Anfavea, citando que os mercados do Chile e Colômbia estão avançando na pauta de vendas externas do setor. Recentemente, a Anfavea reviu a projeção para vendas ao exterior, passando a esperar uma queda em relação a 2017, que foi recorde. Durante o evento, o presidente da Volkswagen para a América Latina, Pablo Di Si, melhorou estimativa de crescimento do mercado brasileiro de carros e comerciais leves de 10% para 12% ao ano, também citando fatores macroeconômicos, incluindo maior disposição de concessão de financiamentos pelos bancos. Volkswagen Di Si afirmou que a produção de motores da Volkswagen em sua fábrica em São Carlos (SP) deve dobrar para 830 mil neste ano ante 2017, mas, para 2019, ele estimou crescimento de 10% a 20% no volume produzido na unidade. O executivo da Volkwagen projetou que as vendas de carros e comerciais leves na Argentina devem cair para 770 mil unidades neste ano após 857 mil em 2017, mas que a produção da Volkswagen no país vizinho deverá crescer 8% por causa da expansão do mercado brasileiro.
Veja Mais

15/10 - Acidentes em estradas federais deixam 55 mortos no feriado de Nossa Senhora Aparecida
Foram registrados 764 acidentes, sendo que em 193 deles houve vítimas. Polícia Rodoviária Federal fez quase 28 mil testes do bafômetro, com 602 motoristas alcoolizados. Acidente na BR-265 em Minas Gerais deixou mortos de feridos neste domingo (14) Corpo de Bombeiros/Divulgação Segundo a Polícia Rodoviária Federal, 55 pessoas morreram em acidentes nas estradas federais no feriado de Nossa Senhora Aparecida, no período de quinta-feira (11) a domingo (14). O balanço da PRF, divulgado nesta segunda-feira (15) mostra que foram registrados 764 acidentes, sendo que 193 deles foram classificados como graves, quando houve feridos graves ou mortos. Além dos acidentes, a PRF também fiscalizou pouco mais de 90 mil veículos, e fez quase 28 mil testes do bafômetro. Neles, 602 motoristas foram flagrados dirigindo sob influência de álcool. Foram flagrados 3.312 ultrapassagens proibidas, 1.989 motoristas ou passageiros sem cinto de segurança e 295 casos de crianças sendo transportadas de forma inadequada. Não é possível estabelecer uma comparação com o mesmo período de 2017, já que o feriado passado caiu em uma quinta-feira - portanto, teve um dia a mais. Naquela ocasião, 77 pessoas morreram e 979 ficaram feridas. Foram 993 acidentes.
Veja Mais

15/10 - Caoa Chery Tiggo 2 automático: primeiras impressões
'Aspirante a SUV' ganha transmissão de 4 marchas já usada no Toyota Etios. Rápido contato mostra que conjunto 'conversa' bem na cidade, mas comportamento na estrada ainda é incógnita. Chery Tiggo 2 automático André Paixão/G1 Câmbio de Toyota, experiência adquirida com a Hyundai e preço de carro de categoria inferior. É com essa mistura que a Caoa Chery quer convencer o brasileiro a levar para casa um Tiggo 2 com câmbio automático. O “aspirante a SUV” está nas lojas desde o final de junho, com preços de R$ 66.990 e R$ 70.990 (veja itens de série abaixo). Tabela de concorrentes do Tiggo 2 Fotos: André Paixão/G1 e Divulgação O Tiggo 2 automático é oferecido em duas versões: Look – R$ 66.990 Itens de série: ar-condicionado automático, direção hidráulica, vidros, travas e retrovisores elétricos, rodas de 16 polegadas, luz diurna de rodagem, controle de velocidade de cruzeiro, sensor de estacionamento com câmera de ré e central multimídia. Act – R$ 70.990 Itens de série: equipamentos da Look, mais bancos de couro, controles de tração e estabilidade e teto solar. ‘Nova’ Hyundai? Caoa Chery Tiggo 2 automático André Paixão/G1 O Tiggo 2 é o primeiro produto da nova fase da fabricante, que agora é conhecida como Caoa Chery. Segundo a empresa, esse é apenas o primeiro passo na transformação da imagem da montadora chinesa. Tudo começa com uma abordagem mais agressiva, ao melhor estilo Hyundai. Sob a batuta de Carlos Alberto de Oliveira Andrade, o Caoa, a marca coreana se tornou mais conhecida no Brasil e até mesmo desejada. Com a Chery, a Caoa espera repetir este feito. Para transformá-la em uma espécie de “nova Hyundai”, o primeiro passo foi um “banho de loja” nas concessionárias. A identidade visual foi melhorada e a rede original cresceu de 25 para 45 pontos de venda – com projeção de 60 até o final do ano. Boa parte das novas concessionárias, inclusive, está no mesmo terreno de lojas Hyundai (com a devida separação física). Câmbio de Toyota Câmbio automático do Caoa Chery Tiggo 2 Divulgação Dentro das lojas, a grande aposta é no Tiggo 2. “Nosso modelo não é o melhor, mas também não é o pior. Ele é honesto”, disse Henrique Sampaio, gerente de marketing da Caoa Chery. Para ele, o custo x benefício é a maior virtude do novo carro. A versão automática utiliza uma transmissão de 4 marchas fornecida pela japonesa Aisin. De acordo com a Caoa Chery, trata-se da mesma caixa usada no Toyota Etios. Este câmbio é combinado com o motor 1.5 de 115 cavalos e 14,9 kgfm de torque (com etanol). No rápido contato com o Tiggo2, na voltinha de pouco mais de 7 km pelo trânsito de São Paulo, foi possível perceber que o conjunto “conversa” bem, não passando a impressão de que faltam marchas adicionais. Caoa Chery Tiggo 2 tem motor 1.5 de 115 cavalos André Paixão/G1 É provável que essa sensação mude em trajetos mais longos e trechos rodoviários, o que evidencia a vocação urbana do Tiggo 2 automático. O interior do Tiggo 2 causa boa impressão. O visual é atual, e, mesmo com uma grande profusão de plásticos duros no painel, a cabine tem montagem cuidadosa, com encaixes mais precisos do que em alguns veículos de categoria superior. Botões no volante e de regulagem do ar-condicionado também são agradáveis ao toque, com superfícies emborrachadas. Encara os rivais? Porta-malas do Chery Tiggo 2 carrega até 420 litros André Paixão/G1 O Tiggo 2 acaba no meio do caminho entre os hatches com proposta aventureira e os SUVs compactos. Ele é maior do que Chevrolet Onix Activ, Hyundai HB20X e Ford Ka FreeStyle, apesar de ocupar uma faixa de preços semelhante e ser mais bem equipado. Por outro lado, é menor do que Renault Duster e Ford EcoSport, mas custa menos do que os concorrentes. Um ponto fora da curva é o Honda WR-V, menor, com menos equipamentos, só que bem mais caro. Apesar de a Caoa Chery não citar, o rival que mais se aproxima da proposta do Tiggo 2 é o Jac T40. O concorrente chinês, que deve ser nacionalizado, tem alguns equipamentos a menos, só que custa mais - de R$ 72.490 a R$ 75.490, considerando as versões automáticas. Conclusão Chery Tiggo 2 automático Divulgação O SUV é o primeiro passo na nova fase da Caoa Chery. Produzido em Jacareí (SP), e com a estratégia de marketing conhecida da Caoa, ele deve alcançar o objetivo de 6 mil unidades comercializadas até o final do ano. A transmissão automática de 4 marchas passa longe das mais modernas soluções em câmbios deste tipo, mas também não decepciona, ao passo que a lista de equipamentos, o visual e o preço agradam.
Veja Mais